sexta-feira, 20 de setembro de 2013

PERSEVERANÇA, A MARCA DOS SALVOS EM CRISTO JESUS

PERSEVERANÇA, A MARCA DOS SALVOS EM CRISTO JESUS


Texto: Lucas 8:5-15

Por Pr. José Sérgio Ackel

Introdução:
Nossa vida é marcada por vários acontecimentos, são como quadros, e quando olhamos para eles, vemos que estamos prosseguindo para um alvo, um fim, quando tudo serão recordações, e marcas de nossas conquistas. São etapas, passos necessários para um aprendizado, uma estabilidade de emoções. Vamos nos tornando pessoas maduras. Temos lembranças das coisas de crianças, dos pais, das reuniões familiares (Vô, Avó, Tios, Tias, primos), viagens interessantes, depois as coisas da adolescência, estudos, 1º emprego, namoro, casamento, filhos, trabalho, netos, aposentadoria chegando, contemplando as coisas passadas.
Em toda essa trajetória, podemos pensar: e se eu não tivesse perseverado, como seria hoje? Aí nos alegramos, vimos que valeu a pena.
Lutamos pelas nossas conquistas, pelo namoro, casamento, filhos, lar, etc.
Mas há uma luta maior, que exige de nós muito mais força, mais perseverança, que é pela nossa fé. Esta luta só termina no céu, aos pés do Senhor Jesus.
Ela exige da mesma forma a perseverança, que significa Firmeza, Constância na Fé, e nas Virtudes.
Começa a partir de nossa conversão:

a)  Abraçando a Fé – Atos 19:17-20 – Nenhuma ligação com os feitos passados, ou que me ligue a qualquer religião contrária ao Cristianismo – ofereça outra forma de salvação a não ser pela fé no Senhor Jesus Cristo – Josué  23:6-8.
b)  Vivendo a fé – Atos 2:42 – Perseverar em praticar a doutrina recebida, dando continuidade para as futuras gerações – para os novos convertidos.
c)   Perseverando na fé, até ao fim – 1ª Pe 1:13 – com sobriedade e esperando na graça que há em Jesus Cristo – Hb 13:9; Ef 4:14; Ap 3:11
Conclusão:
Perseverar é o nosso alvo, pois demonstra:

a)  Evidência da reconciliação com DEUS – Cl 1:21-23;
b)  Evidencia de pertencer a Cristo – João 8:31; Hb 3:6,14;
c)   Característica dos santos – Pv 4:18
________________________________________________________________________________

Peça ao Senhor que faça de sua vida uma glória para Ele, um perigo para o diabo, uma força para sua igreja e um testemunho para o mundo.”   Frederick P. Wood

O Canto do Rouxinol (Sl 96:4)

O Canto do Rouxinol (Sl 96:4)



Charles Spurgeon ouviu, certa vez, que em determinado local da Inglaterra os rouxinóis cantavam de maneira mais graciosa que em qualquer outra parte do mundo. Ele resolveu viajar até este lugar para poder comprovar por si mesmo.
- Ele reservou um quarto em uma pousada e lhe informaram que “quando começar a escurecer, olhe para o espinheiro em frente. Você vera o rouxinol. Você ouvirá sua canção.
- Charles Spurgeon, estranhou quando lhe disseram que o rouxinol estaria num espinheiro e a noite.
- Mas ao aproximar-se a noite, o tempo esfriou e começou a chover. Spurgeon perdeu a esperança de ouvir o pássaro. Ele pensou, de noite, frio intenso, raios e trovões, tempestades, um espinheiro. Nenhum rouxinol vai aparecer aqui ou cantar nesta situação.
- Já havia se preparado pra dormir, quando, de repente, ele ouviu a bela e emocionante canção do rouxinol. Era uma melodia clara e doce. Ele olhou pela janela. Lá, estava ele, pousado no espinheiro, debaixo de uma chuva torrencial, o pequeno pássaro erguendo sua voz em uma canção verdadeiramente linda.
- Ele escreveu em seu diário: “Era tão doce e tão bonita que eu não creio que possa escutar algo tão comovente até ouvir os anjos cantarem no céu.”
- A seguir, refletiu Spurgeon: “O Deus do rouxinol é o Deus que eu sirvo. Mesmo na escuridão, sentindo frio, na chuva ou entre espinhos, Ele pode me levar a entoar belas canções na noite.”
Que bela e edificante lição para cada um de nós! A despeito das adversidades o rouxinol não deixou de usar o talento recebido, produzindo, entre circunstâncias, desfavoráveis, um momento de raro resplendor.
Quantas vezes deixamos de glorificar a Deus e de ir estar com os irmãos na igreja apenas porque está chovendo ou fazendo muito calor. Um pequeno problema familiar, um aborrecimento no trabalho, um simples dor de cabeça e logo dizemos que não temos animo para louvar a Deus e que não sentimos vontade de orar. Mas também nas horas difíceis, precisamos mostrar o quanto somos gratos ao SENHOR e o quanto reconhecemos seu amor por nós, perdoando nossos pecados e nos concedendo o direito de viver para sempre no céu de gloria.

Se você está passando por aflições? Cante para Deus. Se sua vida lhe parece escura e tempestuosa, levante seus olhos para cima e diga: “Senhor, eu confio em Ti”. Logo a chuva passará, o sol voltará a brilhar e dos momentos sombrios permanecerá apenas o canto de alegria em seu coração.  (Nathaniel M. Brandão Jr – Ilustrações – A.D. Santos Edit. 2009)

O CÉU

O CÉU





Por Pr. José Sérgio Ackel

O QUE VEMOS QUANDO OLHAMOS PARA O CÉU? : O clima? O romantismo da lua e das estrelas, quando junto da pessoa amada? Fenômenos astronômicos (estrelas cadentes, cometas, meteoros, satélites, óvnis)?

O céu é um espaço indefinido em que se movem todos os astros, um universo incontável de galáxias. A Bíblia nos revela que: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gn 1:1). Criou Deus os céus, e o céu dos céus também (Dt 10:14), para nos ensinar sobre a Sua onipresença e onipotência, conforme Salomão quando diz: “Eis que os céus, e até o céu dos céus, não te poderiam conter..” (I Rs 8:27). Conseguimos nós imaginar o que é “o céu dos céus?” Um certo astronauta, ateu, disse que esteve no espaço e não conseguiu ver Deus”, por outro lado, um outro astronauta, crente em Deus, maravilhou-se e louvou a Deus pela Sua criação. Isso nos prova que aquele que não crê, mesmo que esteja diante da criação divina, manifestando a presença de DEUS, está completamente cego, vivendo na mais profunda treva. A Bíblia nos revela que Jesus veio dos céus, lugar da habitação de DEUS: “Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu” (João 3:13). Pelo mistério da encarnação, Deus nasceu de uma virgem, viveu uma vida natural como qualquer homem, mas sem nunca cometer nenhum pecado (1ª Pe 2:22), levou sobre Si nossas culpas e pecados, morrendo em uma cruz para podermos ser perdoados, imerecidamente, por DEUS. (Is 53:1-11). Foi sepultado, ressuscitando segundo as Escrituras (1ª Co 15:3-4). Jesus voltou aos céus após cumprir as profecias a Seu respeito, e realizar a oportunidade de reconciliação para todos os homens, perante DEUS (Cl 1:21). Jesus voltará dos céus para cumprir as profecias restantes das Escrituras. As promessas á igreja (1ª Ts 4:13-18); cumprir as profecias descritas em Apocalipse; as promessas de um reino milenar, e a criação de novos céus e nova terra. (Is 65:17; Is 66:22; 2 Pe 3:13). O céu é o lugar de destino dos que crêem em Jesus Cristo, segundo as Escrituras (Jo 8:24), No céu encontra-se a “universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus” (Hb 12:23). No céu encontra-se o livro da Vida com os nomes daqueles que não se contaminaram (Ap 3:5). Olhe para o céu contemplando sua futura e eterna morada, com o desejo sincero de ir ao encontro do Senhor nos ares, e estar com o Senhor Jesus eternamente. Olhe para o céu e veja a cruz de Cristo oferecendo o perdão e a nova vida espiritual. “Vinde a mim, os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviareis..e achareis descanso para vossas almas.” Mt 11:28,29

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Igreja, o lugar dos salvos.

Igreja, o lugar dos salvos.
Texto: Atos 2:47




Introdução:
A igreja é o mistério revelado de DEUS aos homens (Ef 3:9-11). Igreja quer dizer “assembléia” reunião de pessoas, que no caso reúnem-se como um grupo de irmãos, com a mesma crença para prestar um culto de adoração á Deus, segundo o modelo neotestamentário.
Seus membros são pecadores arrependidos que reconheceram na morte de Cristo a oportunidade de terem seus pecados perdoados e o privilégio de reberam o “dom da vida eterna” dados graciosamente por DEUS.
Reconhecem o Senhor Jesus Cristo como Supremo Pastor e Legislador de suas vidas.
Tem o dever de:
1-   Zelar pela fidelidade das Escrituras; Judas 3
2- Anunciar a dispensação da graça; Romanos 15:20
3- Receber seus membros para constituir o Corpo de Cristo;  Atos 2:47
4- Ensinar, edificar, instruir e disciplinar os membros;  II Tm 3:15,16
5- Transformar-se á imagem e semelhança de Cristo. – Romanos 8:29
6- Guardar as ordenanças recebidas do Senhor Jesus – Mateus 28:19,20
7- Amar uns aos outros. – João 15:12

Conclusão:
Nada é tão sublime como a “igreja de Cristo”Todos devemos preservar a sua beleza e singularidade neste mundo.
Nestes últimos dias precisamos ter muito discernimento sobre o que é a verdadeira igreja. Todos pretendem ser a igreja verdadeira de Cristo.
A igreja tem a figura da “Arca de Noé” neste mundo, seus pregadores tem de ser “pregadores da justiça” assim como foi Noé.
A igreja tem a marca de Cristo no coração de seus membros, lideres e pregadores (humildade e mansidão). Tem o aroma de Cristo, em cheiro suave e agradável a DEUS.
Nela está presente a Humildade, a Simplicidade e a Verdade Salvadora de Jesus Cristo.
Tem na Cruz de Cristo a oferta de Salvação, perfeita e completa, segundo á vontade de DEUS.


“Precisamos reunir-nos com a igreja militante (local) se esperamos reunir-nos com a igreja triunfante (universal). Unidos na graça, o povo de Deus prepara-se para a glória”  M Watts

CADA DISPENSAÇÃO A SEU TEMPO

CADA DISPENSAÇÃO A SEU TEMPO




Em termos de DEUS costumamos falar de eternidade passada, a presente e a futura. DEUS é antes de qualquer eternidade. Eternidade é a duração de algo que não tem princípio nem fim. “Bendito seja o SENHOR Deus de Israel, de eternidade a eternidade. E todo o povo disse: Amém! E louvou ao SENHOR.” (I Cr 16:36)
Na presente eternidade, com o advento da Criação (Gênesis), o Senhor DEUS estabeleceu uma revelação progressiva da Sua vontade, e da concessão do Seu favor para com os homens, que são conhecidas e identificadas como “dispensações”. Uma dispensação é o período de tempo durante o qual os homens são provados a respeito da obediência e servir a certa revelação da perfeita e soberana vontade divina. São conhecidas e reveladas por meio das Escrituras em número de 7 (sete); a saber:
     I.        A dispensação edênica – Vai desde a criação do homem, em perfeita pureza (não inocência), pleno livre arbítrio, (domínio de sua vontade) num ambiente perfeito (Éden), tendo sido instruído sobre o perigo e a consequência da desobediência, caiu e foi expulso do paraíso. (Gn 2:7 – 3:24).
   II.        A dispensação antediluviana (consciência humana) – A raça humana, agora expulsos do Éden, conhecedores do bem e do mal seguiam a direção do seu coração. Mas corromperam-se a tal ponto (Gn 6:5, 12, 13) que a dispensação findou com o dilúvio. (+ ou – a população de hoje 7 bilhões de pessoas).
 III.        A dispensação pós-diluviana (governo humano) A partir do diluvio até a dispersão humana (torre de Babel) (Gênesis 11:9).
IV.        A dispensação patriarcal – A escolha de Deus, sobre uma família Abraão, que vai da sua chamada (Gn 12) até ao êxodo do Egito (Êx 13);
  V.        A dispensação da lei – Moisés incumbido de trazer o povo á terra prometida, lhes dá a lei e os mandamentos do Senhor, para que sejam santos. Que vai do Monte Sinai ao Monte Calvário. (Colossenses 2:14).
VI.        A dispensação da igreja (da graça) – João 1:17 – Esta dispensação estende-se a partir da crucificação de Cristo, inicio e até a apostasia da igreja, culminando com a segunda vinda de Cristo. (Mt 24:37-39);
VII.        A dispensação do Reino Milenar (plenitude dos tempos – Ef 1:10)) – Com o cumprimento final das demais profecias do Velho Testamento – o reino de Davi (2Sm 7:8-17; Lc 1:31-33; I Co 15:24)
A partir daí temos o início da eternidade futura – Novo céu e nova terra –(II Pedro 3; Ap 20) Cada dispensação é marcada por uma prova de obediência dos homens para com Deus. Em cada uma delas os homens têm falhado e desprezado a oferta feita por Deus de salvação, por meio de sua desobediência. Hoje, nesta presente dispensação da igreja, a oferta de DEUS para a salvação do homem é “crer na mensagem do evangelho”, e seguir, servindo fielmente ao Senhor Jesus Cristo. Você já tomou esta importante decisão em sua vida? Está seguindo a verdade de Cristo? Está sendo fiel aos seus mandamentos? Se ainda não, creia no Senhor Jesus e na Sua palavra da Verdade eterna (Bíblia), e seja salvo.

“O plano de Deus para a salvação não é uma decisão para remediar uma situação; ela antecede a obra da criação.” J.A.Motyer    (tomada na eternidade passada!!)

SERVIR OU SER SERVIDO

SERVIR OU SER SERVIDO
Marcos 10:45 “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido”




Desde o Éden há uma concepção errada com relação a DEUS, que Ele existe para servir sua criação, como foi sugerido á Adão e Eva. Na verdade o Éden era o jardim de Deus, em que Ele passeava na viração do dia (Gn 3:8), e Adão foi colocado ali com a função de “lavrá-lo e guardá-lo”, isto é: cuidar do jardim de Deus. Adão e Eva cederam ao desejo de serem como Deus (Gn 3:5), e para isso deixaram de “guardar” obediência ao mandado de DEUS (Gn 2:16,17), sendo expulsos do jardim de DEUS. Ser como DEUS é o desejo da natureza humana, há alguns que se  contentam em serem apenas “semi-deuses” (falsos apóstolos, pastores (as), bispos (as), missionários (as) e outros pseudo-lideres espirituais (servos do Anticristo), pois odeiam á idéia de servir ao SENHOR. (seriam mais uteis se estivessem plantando pepinos na periferia da cidade, como sabiamente o diz uma querida irmã).  Este desejo da natureza humana, quando prevalece sobre a nova natureza, faz com que aqueles que se dizem “cristãos” busquem á Deus (Pai e Filho) apenas quando precisam ser “servidos”, e negligenciam o fato de que são servos do Senhor Jesus Cristo, e como tais tem mandamentos e deveres a cumprir.
A primeira omissão é a ausência nas reuniões de oração, depois na Escola Dominical, nas programações, e por fim nos Cultos dominicais regulares.
Em João 12:26 o Senhor Jesus diz: “Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.”
A responsabilidade e o dever do servo é seguir a Cristo, morrer para o mundo, amar menos o mundo. Na vida eterna estaremos ao lado de Cristo como seus servos, dedicados e fiéis, que perseveraram em guardar seus mandamentos, em fazer a Sua vontade, servindo sempre com bom ânimo, sendo por isso, honrados pelo Pai (Jo 12:25). Os apóstolos e todos os cristãos do primeiro século (igreja) tinham bem clara a imagem da divindade de Deus-Pai; Deus-Filho e Deus-Espirito Santo e viviam para servir ao SENHOR e uns aos outros, com amor e desprendimento, segundo os ensinos do Mestre e dos santos apóstolos.
“recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espirito Santo...a vossa fé com Deus se espalhou de tal maneira...e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para SERVIR o Deus vivo e verdadeiro, e esperar do céu o seu Filho...Jesus, aquele que nos livra da ira futura.” I Tessalonicenses 1:6-10.

“Oh, como é doce trabalhar o dia todo para Deus e então deitar de noite debaixo de seu sorriso!”  R M M’Cheyne

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

JESUS, Minha Vida

JESUS, Minha Vida
Texto: Isaías 9:6




Introdução:
Esta noite queremos considerar os patamares da vida do homem (mulher) ao longo da soma de seus dias (Sl 90:12). Em cada circunstância da vida sempre vamos nos deparar com duas soluções para cada problema: uma sábia e outra “remediada”. A remediada é aquela que tomamos com base em nossa própria vontade e desejo, que ao final reconhecemos que o resultado poderia ter sido diferente do alcançado. A decisão “remediada” é aquela que é regida pelos três “is” da natureza humana: ira, inveja e intransigência.  É a base da sabedoria humana.
Quantas de suas decisões foram tomadas com base na IRA, INVEJA, INTRANSIGÊNCIA ? – Qual foi o resultado delas?
As decisões sábias são aquelas tomadas com base na Palavra de Deus, que expressam a vontade divina para nós. Em nosso texto aprendemos os nomes que expressam os atributos (poderes divinos) do Senhor Jesus:

1-     Maravilhoso -  Em conselhos (Is 28:29); No ensino (Sl 119:130); Em obras (Sl 139:1; Ap 15:3);
2-    Conselheiro – Nele está a sabedoria (Pv 8:14); É nosso Conselheiro (Mt 16:24; Jó 12:13); Faz as coisas segundo o Conselho de Sua vontade.
3-   Deus Forte – Nele confiamos (Is 26:4);
4-   Pai da Eternidade – A eternidade foi criada por Ele (Sl 90:2);
5-   Príncipe da Paz – Jesus é a paz que consola, que anima, que serena nosso espírito; que traz o perdão e a reconciliação com DEUS, que traz a salvação e a vida eterna.

Conclusão:
O Senhor Jesus, com seus atributos divinos, nos acompanham em cada patamar da vida, com suas necessidades:
a)    Por ser Maravilhoso nos surpreende até o ultimo momento;
b)   Por ser Conselheiro nos instrui dos 5 aos 25;
c)    Por ser Deus Forte nos ampara em seus braços dos 30 aos 50;
d)   Por ser Pai da Eternidade nos consola dos 55 aos 75;
e)    Por ser o Príncipe da Paz inunda nosso espírito dos 80 aos 100.
Que nossa vida seja sempre dirigida pelo Senhor Jesus, que possamos nos humilhar e arrependermos a cada dia de vida, tomando decisões sábias, isentas de toda Ira (maldade, desobediência), Inveja (ciúme, temor, medo), e Intransigência (dureza de coração, incompaixão, orgulho, falta de amor e perdão).


“O homem sem Deus deixa de ser homem”  Nicolas Berdyaev

OPORTUNIDADES PARA A VIDA CRISTÃ

OPORTUNIDADES PARA A VIDA CRISTÃ




1-   “Ninguém despreza a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé na pureza.” (I Tm 4:12)
Lorde Chesterton uma vez afirmou: “Eu creio no arrependimento à beira da morte, mas não quero depender dele”. Durante uma enfermidade séria a mente não funciona normalmente. Acertar a vida com Deus é algo que deve ser feito no vigor da saúde. Mas, como se interessa pelos Seus filhos, “a mão do Senhor não está encolhida para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir”. Ele nos ama de modo igual, na doença ou na saúde, na vida ou na morte. Em minha experiência, não conheci muitas pessoas que tenham encontrado Cristo no leito de morte. Quando aceitamos Cristo na juventude, a vida é salva. Quando o aceitamos na velhice, a alma é salva e a vida eterna é garantida, mas a oportunidade de viver uma vida por Cristo passou.

2-  “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” João 15:5
Certa vez um escritor disse que uma vinha não estava correspondendo, durante muitos anos, às expectativas do viticultor. Era uma vinha sadia, porém produzia poucos frutos. Finalmente chegou um ano em que a vinha ficou carregada de lindos cachos. A fim de entender o mistério, o viticultor cavou a terra para ver as raízes e foi seguindo-as até que descobriu que elas haviam atravessado a terra, até alcançarem as águas de um rio que lhe fornecia a umidade necessária.
Dessa vinha podemos aprender que, em união vital com Cristo, podemos produzir muitos frutos.

3-   Tabita (Dorcas), uma cristã da cidade de Jope, sempre fazia boas obras e ajudava os necessitados. Conforme Atos 9:37-42, ficou gravemente enferma e morreu; seus amigos chamaram Pedro, que ao chegar ao local, encontrou os irmãos desconsolados e observou que enquanto choravam mostravam as peças de roupa fabricadas por ela quando estava viva.
Pedro pediu que todos se retirassem do aposento, ajoelhou-se e orou. Em seguida disse: “Tabita, levanta-te. Ela abriu os olhos e assentou-se.” Imediatamente foi apresentada viva aos seus amigos e naquele dia muitas pessoas creram no Senhor, por causa da obra que Deus fizera por meio do apóstolo. (Atos 9:37-42)
“O objetivo de nossa vida não é agradar a nós mesmos, mas, sim, agradar a Deus”                     Matthew Henry  


PATAMARES DA IDADE

PATAMARES DA IDADE

Salmo 90:12 – “Ensina-nos a contar nossos dias.”
Os dias da nossa vida chegam á 70 anos e alguns pela robustez a 80.



Assim diz o verso 10 deste salmo (oração de Moisés). Podemos exemplificar nossa vida nos seguintes patamares: (01) de 5 a 25 anos; (02) 30 a 50 anos; (03) de 55 a 75 anos; e (04) de  80 a 100 anos. No primeiro patamar, após os cinco anos inicia-se um mundo de aprendizado – pré-escola á faculdade – pelo alfabeto até os mistérios da ciência, descoberta da vocação profissional.  No segundo patamar vamos conquistando ou galgando os mais diversos postos de trabalho na carreira profissional. No terceiro patamar vamos nos acomodando com o acumulo de experiências e sabedoria adquirida ao longo da carreira profissional (maturidade).  E, no quarto patamar é o olhar para o futuro que nos aguarda, contemplamos os filhos galgando os mesmo patamares, os netos que vem chegando, o repouso de uma vida de lutas, batalhas e sacrifícios No final do quarto patamar (100) anos teremos vivido 36.000 dias. E o propósito de cada dia vivido não é acumular conhecimento, dinheiro, bens materiais ou dias felizes, mas sim alcançarmos um coração sábio. Contar nossos dias, a meu ver, significa que a cada um deles tivemos uma experiência diferente, problemas e situações diferentes para resolver, e pudemos vencer graças aos ensinos recebidos do SENHOR DEUS.
Então eu posso recordar (contar) cada dia passado, e reconhecer que como pela graça de DEUS pudemos chegar até ao dia de hoje (21/08/2011). Da mesma forma como Moisés era ensinado diretamente pelo SENHOR, nós também podemos ter o mesmo privilégio através dos Ensinos Sagrados da Bíblia. A cada patamar vencido podemos nos valer das instruções do SENHOR. No primeiro temos: “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele – Pv 22:6”; No segundo: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detêm no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores – Sl 1”.  Cada dia é para ser vivido no temor do SENHOR, em alegria, adoração e louvor. Devem ser vividos com decência, honestidade, compaixão, e espírito perdoador. Começar a contar nossos dias, com orgulho e alegria, é possível a partir da nova vida que DEUS nos dá em Jesus Cristo, em que nossos pecados são perdoados, e o nosso espírito pode voltar-se para compreender e aceitar á vontade de DEUS. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (2Co 5:17). Quando você estiver passando pelos dias do 3º e 4º patamares, quais serão as suas lembranças, memórias? Que sejam aquelas que DEUS te ensinou a contar! Amém.

“Os últimos dez anos de vida são os melhores, porque estamos mais livres das ilusões e mais cheios de experiencia.” Benjamim Jowet

JESUS, minha esperança. (Em Cristo não há lugar para tristeza)

JESUS, minha esperança.
(Em Cristo não há lugar para tristeza)
Texto: I Pe 3:15


Introdução:
 A partir do inicio da igreja, Pentecostes, (Atos 2) nos vemos a comunidade (homens e mulheres) cristã cheia de uma alegria e vigor contagiantes, em que de maneira alguma havia lugar para tristeza ou lamentações. Enquanto no Velho Testamento os santos manifestavam sempre um tipo de medo, insegurança e até manifestações de grande tristeza ao ponto de desanimo espiritual (Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Gideão, Sansão, Elias, etc.); os santos do NT explodem em vigor e alegria contagiante, O mundo é incapaz de refrear estes sentimentos. A razão disto, é que enquanto os santos VT tinham sua esperança na ressurreição para a vida eterna, os santos do NT tinham a JESUS como esperança. O testemunho dos seus discípulos é que seus olhos contemplaram, suas mãos tocaram da Palavra da vida, ouviram, creram e por isso viviam aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo.
Assim:
1-   Quando intimidados, anunciavam com ousadia a palavra de Deus – At 4:31;
2-  Quando açoitados, regozijavam-se e ensinavam e anunciavam a Jesus –
 At 5:41,42;
3-  Quando diante da morte, diziam “Senhor Jesus recebe meu espírito” –
At 7:59;
4-  Quando perseguidos e expulsos, iam por toda a parte anunciando a Jesus - At 8:4;
5-  Quando presos, dormiam tranquilamente -  At 12:6;
6-  Quando feridos e presos, oravam e cantavam hinos – At 16:22-25;
7-  Quando sabiam do sofrimento, alegravam-se pela vida em Cristo –At 20:22
8-  Perante reis, testemunhavam sua salvação – At 26:29 – “eu sou”

Conclusão:
Em Cristo não há lugar para tristeza, nem insatisfação, medo, descontentamento, ira, ciúmes, solidão, incertezas, insegurança, malicia.
A ordem é: “regozijai-vos, sempre no Senhor; outra vez digo regozijai-vos” Fp 4:4, mesmo na perseguição (prisão e morte); necessidades físicas, enfermidades, fraquezas da carne, no servir a Cristo, no perdão recebido.
Por outro lado “entristecei-vos” sempre por qualquer pecado cometido contra o amor, a misericórdia, a bondade, a verdade de nosso Senhor Jesus Cristo.
“Em Cristo não há lugar para tristeza, só para o amor de DEUS” – João 3:16

“Estou diariamente esperando a vinda do Filho de Deus.” George Whitefield

Testemunho de Rute Luchsinger (Suíça)

TESTEMUNHO
Testemunho de Rute Luchsinger (Suíça)

     Durante a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha, algumas pessoas pobres e perseguidas se refugiaram numa caverna escura e fria.

     Depois de terem abandonado aquele lugar medonho, achou-se inscrito numa das paredes, o seguinte:

“Creio no sol, mesmo que ele não brilhe.
Creio em DEUS, mesmo que Ele esteja em silêncio
Creio no amor, mesmo que ele esteja oculto”

     Com estas palavras um dos refugiados deu um belíssimo testemunho de possuir grande esperança e confiança.

     Deus é realmente a nossa esperança. Ele deve ocupar o primeiro lugar em nossas vidas, para que destemerosos possamos enfrentar infortúnios, doenças e a própria morte.

      Com Deus, podemos enfrentar com paciência tudo o que for necessário.

      A força de Deus se aperfeiçoa em nossa fraqueza.

      A esperança é como uma estrelinha que brilha no céu. Graças sejam dadas a Deus, por nos conceder esta dádiva celeste.

      “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei?” Salmo 27:1

 “A esperança cristã não tem como finalidade deliciar nossas mentes, mas, sim, mudar nossa vida e influenciar a sociedade” Stephen Travis

“A esperança é a mãe da paciência”   William Jenkyn


“Aqueles a quem não foi anunciado, o verão, e os que não ouviram o entenderão”

“Aqueles a quem não foi anunciado, o verão, e os que
não ouviram o entenderão” 



Estas palavras foram ditas 700 anos antes de Cristo, pelo profeta Isaias, e reafirmadas 58 anos após o nascimento, morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo, pelo apóstolo Paulo no Novo Testamento – Romanos 15:21.
O que essas palavras significam?
-          Significam o cumprimento da Palavra de Deus, por meio da profecia do livro de Isaias, Capitulo 52, verso 15, que anunciava a vinda do Salvador, fortalecendo a esperança daqueles que ansiavam a libertação da escravidão, e a oportunidade única de receberem da parte de Deus uma vida de paz, alegria e comunhão com Deus.
-         Significam que as pessoas que nunca ouviram falar do verdadeiro e único Deus haveriam de vê-lo, com seus próprios olhos, e compreender os seus ensinos, e a razão de Sua vinda. E isso aconteceu nos anos 30 a 33 depois de Cristo, conforme as palavras do apostolo João “o que temos visto com nossos próprios olhos” João 1:1;
-         Significam que essas palavras se estenderiam até você, nos dias de hoje, para que compreendendo, recebesse a mesma alegria de uma vida de paz e comunhão com Deus,
Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra”.João 17:20
-         Significa, que VOCÊ, 2000 anos depois, pode receber de Cristo, aquilo que foi aguardado e ansiado por mais de 700 anos   – A VIDA ETERNA –
“E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.
Agora, VOCÊ tem o privilégio de ver, compreender e ouvir, por meio do evangelho, o que fez e por que fez o Senhor Jesus Cristo, para cumprir as palavras desta profecia.
“Na verdade fez Jesus, diante dos discípulos, muitos outros sinais que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram registrados para que creais que Jesus é o Cristo o Filho de Deus, e para que crendo tenhais vida em seu nome “. João 20:30, 31”.

“Disse-lhe Jesus: Porque me viste creste?

Bem-aventurados os que não viram, e creram “. João 20:29”.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Confiança Em Cristo

Confiança Em Cristo





Introdução:
Nos últimos domingos temos ouvido a respeito de como Deus nos acolhe e está sempre por perto para nos auxiliar, vamos rever algumas destas formas e veremos um pouco do que a sua palavra nos mostra sobre depositarmos nossa confiança em Deus.
 Vimos que Deus é nosso Consolador – João 14-16:  Que está conosco nos instruindo, consolando, confortando, protegendo e que permanece para sempre ao nosso lado.
Nosso amigo verdadeiro - João 15-13: O Senhor Jesus Cristo é o verdadeiro amigo, pois te ama e busca sua amizade, mesmo quando você o despreza e dá mais atenção ás amizades interesseiras e ao mundo e, não atende a amizade oferecida pelo filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo.
Assim ficamos sabendo que:

1 – Não devemos depositar nossa confiança:
*Nas riquezas - ITm 6:10 -  Marcos 10:17-27 – a nossa confiança deve ser no Deus que supre dia a dia o que precisamos, a riqueza que possuímos é a confiança em Deus. – Fp 4:19.     Nosso tesouro é no céu – Mt 6: 19-21 e 1Tm 6.8
*Nos homens -  Hb 4: 14 – 16 – Jesus é o nosso Deus em que podemos confiar.

2  - Devemos Confiar em Cristo.
2.1 - Aproximar de Deus – Tiago 4: 7-8 : a aproximação com Deus nos leva a viver uma vida que agrade a Deus.
2.2 - Depender de Deus – Tiago 4: 13-17

Exemplo:  Confiança de Davi em Deus – Salmo 62: 1-12
I Pe 5.7 – Lançando sobre ele toda vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.
Salmos 145: 20 – O Senhor guarda a todos que o amam; mas todos os ímpios serão destruídos.

Conclusão: Devemos conhecer nossas limitações e reconhecer que nós, por nós mesmos, jamais venceremos o inimigo de nossas almas que avança sobre nós derrubando, colocando em nosso corações a perseguição, o ciúme, a inveja, o desejo desordenado, a luxuria, ódio, o rancor, dentre outras coisas que não agradam a Deus. Então  nós como filhos do Deus Altíssimo, devemos colocar nossos joelhos no chão e orar com fé e confiança sabendo que o nosso Deus é um Deus amoroso e todo-poderoso, saber que temos um Deus Onipotente(SL 91:1-2), e um Deus amoroso(Jo3:16).  Deus nos abençoe!!!

ont-style:normal'>“Vivemos movidos pelas exigências, quando devíamos viver movidos pelas prioridades”  J A Motyer



PROCURANDO DILIGENTEMENTE

PROCURANDO DILIGENTEMENTE




Por Pr. José Sérgio Ackel

Isaias 55:6 – “Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar,
 invocai-o enquanto está perto.”
 
Certo homem perdeu um comprovante de pagamento bancário em seu celeiro. Ele procurou a nota fiscal por muito tempo sem sucesso e, mesmo diante do fracasso, ele resolveu insistir, dizendo consigo mesmo: “Eu sei que esta nota está aqui no celeiro em algum lugar e eu a procurarei até encontrar.” Estava determinado a encontrar o documento custasse o que custasse. Determinação, insistência faziam parte de sua vida. Se não achasse a nota fiscal, ele provavelmente iria perder uma máquina de sua propriedade.
   Em seguida, com disposição, começou o seu trabalho removendo cuidadosamente palha e feno, por muitas horas, até que finalmente encontrou o documento que buscava. Ele se alegrou com sua esposa e ficou feliz em não perder o bem que comprara com tanto sacrifício.
   Algumas semanas mais tarde, sentado ao lado da esposa em uma varanda, começou a meditar sobre sua situação espiritual e concluiu que não estava andando corretamente diante de Deus. Voltando-se para a esposa, perguntou:
   “O que devo fazer para me tornar um verdadeiro cristão?”
   “Você deve buscar ao Senhor com determinação e perseverança como fez em relação à nota do banco no celeiro,” respondeu ela.
   Aquelas palavras tocaram profundamente em seu coração e ele seguiu o conselho recebido. Ele então, usou a mesma determinação que teve ao procurar a nota no celeiro, para buscar ao Senhor DEUS. Começou a orar e a meditar na Palavra de Deus diariamente com fé, determinação e esperança e assim refez sua vida com JESUS e logo se tornou um homem ricamente abençoado, feliz e realizado.
  Por que nos empenhamos com grande diligencia na busca de nossos ideais e interesses pessoais, comerciais e no emprego, e não fazemos o mesmo em relação a DEUS? Empregamos todos os esforços possíveis para conquistar os nossos sonhos e não levamos em conta que, com a benção do SENHOR, as vitórias seriam bem mais fáceis?
  A perseverança é o grande segredo para lograr êxito em nossos propósitos. Mesmo que enfrentemos dificuldades e o sonho pareça estar distante, se nos esforçarmos com a mesma determinação, certamente chegaremos lá.
(Ilustrações de Nathaniel M. Brandão Jr.)
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mateus 6:33

“Vivemos movidos pelas exigências, quando devíamos viver movidos pelas prioridades”  J A Motyer